Como a Crise de Hoje Pode se Tornar a Oportunidade de Amanhã – Em Alta Velocidade

Ricardo Vargas, diretor executivo da Brightline™Initiative, fala sobre como a pandemia está acelerando a transformação, a reinvenção do trabalho e as oportunidades que estão surgindo.

Ricardo Vargas
Olhe para seus talentos de uma forma totalmente nova

Transforme sua força de trabalho em uma verdadeira força

Get in touch

Com todos os dados, tecnologia e conectividade que definem o mundo em que vivemos atualmente, como é que quase ninguém viu a crise da COVID-19 chegando?


Não faltavam avisos. Notícias de um vírus novo e potencialmente perigoso na China foram divulgadas no final do ano passado. Quando entramos no Ano Novo, epidemiologistas e autoridades de saúde pública de todo o mundo deram o sinal de alerta e aconselharam governos e empresas a se prepararem.


Trabalhei extensivamente ao longo da minha carreira estudando gestão de crises e ajudando a planejar respostas para emergências de saúde pública, incluindo um surto de Ebola em Serra Leoa. O que aprendi com essas experiências é que os seres humanos tendem a descartar avisos de problemas futuros e a ignorar os pedidos de preparação.

 

Em resumo, temos dificuldade em aceitar que uma crise é real até que já esteja sobre nós.


Perdemos claramente nossa chance de nos preparar para a COVID-19. No entanto, isso não significa que não possamos tirar lições importantes desta crise e aplicá-las a desafios futuros. Estou muito confiante de que usaremos esta crise como uma oportunidade para melhorar nossas vidas e, em particular, a maneira como trabalhamos.


Durante anos, consultores de negócios enfatizaram a necessidade de ser criativo, ágil e adaptável para sair à frente na curva da tecnologia. Alguns acataram esse conselho, mas muitos adotaram essencialmente a mesma abordagem usada no prelúdio à pandemia: reconhecer a necessidade de se adaptar, mas manter uma postura de trabalho como de costume.


Se há uma coisa positiva que pode advir da crise da COVID-19, é um reconhecimento global de que não podemos mais ser complacentes. Nossa própria sobrevivência está em jogo. Em outras palavras, precisamos reinventar nossos negócios e a nós mesmos, e precisamos fazê-los na velocidade da luz.

 

A crise da COVID-19 convencerá muitas organizações a ver e gerenciar os riscos de maneira diferente, a prever e planejar de maneira diferente e a agir de maneira decisiva quanto às coisas que sabemos que precisamos fazer antes que imponham a nós.

 

Embora tenha começado principalmente como uma emergência de saúde pública, a COVID-19 se transformou em uma ameaça que afetou todas as nossas vidas em vários níveis. Ela paralisou certos setores, ao mesmo tempo em que criou oportunidades novas e sem precedentes para outros. Ela mudou a própria natureza do trabalho, principalmente quando, onde e como fazemos nosso trabalho. Antes de terminar, ela pode muito bem reformular nossa própria compreensão de subsistência e qualidade de vida.

 

Que tipo de coisas podemos procurar? Vou compartilhar o que acho que isso significa para o futuro.

 

A COVID-19 está acelerando a transformação dos negócios

 

Antes da pandemia, todos os tipos de organizações buscavam transformações nos negócios ou na força de trabalho para enfrentar desafios e oportunidades futuras. Infelizmente, muitas dessas empresas demoravam muito tempo para aceitar mudanças. E mesmo quando o faziam, relutaram em adotá-las plenamente, deixando-as no limbo: nem iguais, nem diferentes o suficiente para realmente avançar para o futuro. Muitas organizações haviam reconhecido a necessidade de se "transformar", mas não haviam chegado a fazê-lo.

 

Após a pandemia, veremos muito mais empresas abraçando plenamente uma transformação rápida e urgente. Elas estão aprendendo como fazê-lo puramente por uma questão de sobrevivência. Já vimos isso em alguns setores, como hospitalidade e saúde. O distanciamento social significou que muitos restaurantes passaram de totalmente lotados para completamente vazios. Sem se deixar intimidar, muitos começaram a reformular suas operações para se concentrar apenas no serviço de retirada ou entrega. Eles foram auxiliados significativamente nessa transformação por empresas que prestam serviço de entrega de refeições sob demanda. A fim de proteger os pacientes buscando aconselhamento ou tratamento médico, os sistemas de saúde estão levando as pessoas a usar opções de telemedicina para limitar o contato humano. O tráfego de pacientes para serviços de telessaúde está crescendo vertiginosamente. O aplicativo de telemedicina Amwell teve um aumento de 158% desde que o vírus apareceu. A passagem para a telemedicina representa um impacto drástico no setor de saúde, criando novas oportunidades. Outras organizações em outros setores da economia estão sendo forçadas a adotar mudanças semelhantes, e isso mudará o mundo do trabalho para sempre.

 

A grande experiência de trabalhar em casa está transformando a cultura das empresas

 

Antes da pandemia, muitas organizações eram ambivalentes quanto à ideia de seus colaboradores trabalharem em casa. Alguns consideravam a ideia do trabalho virtual um tabu, agarrando-se a temores desatualizados em relação à queda de produtividade. Também havia preocupações com a falta de massa crítica criativa caso o talento principal não se concentrasse no mesmo ambiente de trabalho. Apesar de um caso de negócios claro e convincente para mudar para um ambiente virtual, os empregadores resistiram a essa tendência, com medo de que ela prejudicasse a cultura da empresa.

 

Milhões de trabalhadores em todo o mundo estão trabalhando em casa pela primeira vez. Eles precisam se adaptar a um novo ambiente, trabalhar com novas ferramentas e aprender novas maneiras de trabalhar – da noite para o dia. Muitos colaboradores querem, e podem, trabalhar em casa pelo menos parte do tempo. Pesquisas da Gallup mostram que 43% dos funcionários nos EUA já trabalham remotamente. Esse número está fadado a aumentar à medida que a COVID-19 acelera a migração para o virtual. Mas as organizações precisam entender que a transição para o trabalho remoto não é simples e requer novos comportamentos e habilidades para garantir que a criatividade, o engajamento e a produtividade não fiquem para trás.

 

Sem dúvida, muitos dos trabalhadores que foram enviados para casa a fim de controlar a propagação do vírus desejarão manter o experimento após a pandemia. Isso pode significar mudanças sísmicas nos contratos de trabalho e remuneração, planejamento urbano, com menos pessoas se deslocando diariamente, e no setor de imóveis comerciais, com as empresas buscando investir menos em escritórios e mais em produtos e serviços.

 

A próxima grande iteração do comércio eletrônico

 

Antes da pandemia, o comércio eletrônico vinha crescendo em valor e alcance há anos, respondendo por 16% do total de compras no varejo em 2019. No entanto, com a implementação do distanciamento social, o comportamento do consumidor está mudando rapidamente. Não apenas estamos vendo um grande aumento nas compras on-line, mas outras categorias também estão vendo aumentos. Uma pesquisa recente da Red Points revelou que quase metade dos consumidores tem maior probabilidade de fazer compras no varejo on-line por causa do receio do coronavírus.

 

Com o comércio eletrônico em ascensão, as empresas estão procurando novas maneiras de aumentar as vendas on-line, enquanto as empresas que não fizeram a mudança precisarão fazê-lo rapidamente se quiserem sobreviver. Isso está levando a novos investimentos em publicidade on-line, tecnologia, automação e processamento de pedidos. O futuro dos negócios de tijolo e cimento será severamente testado depois que o mundo perceber o quanto se pode fazer com um clique e um cartão de crédito. 

 

Uma reinvenção da força de trabalho como um recurso ágil, não apenas um custo

 

Antes da pandemia, o mundo estava sofrendo com uma escassez sem precedentes de talentos qualificados. As taxas de desemprego em quase todas as regiões estavam em níveis historicamente baixos. O futuro do crescimento econômico estava em xeque em grande parte porque os empregadores – que sempre contaram com o mercado de trabalho aberto para atender às necessidades de talentos – não conseguiam encontrar as pessoas certas com as habilidades certas.

 

Após a pandemia, haverá uma ênfase nova e muito atrasada na preparação da força de trabalho de hoje para futuras demandas de habilidades. Mais trabalho será feito para identificar os colaboradores mais ágeis e mais abertos ao aprendizado. As organizações investirão muito mais na criação de uma força de trabalho ágil, no desenvolvimento de seu pessoal – adotando opções de aprendizado virtual – para que possam se articular rapidamente e facilmente passar para diversas funções dentro da organização. Ainda que estejamos sofrendo com o bloqueio econômico devido à pandemia, este é um dos melhores momentos para desenvolver trabalhadores, construir novas habilidades e prepará-los para o mundo pós- pandemia.

 

O custo humano e econômico da pandemia é um dos exemplos mais profundos que testam nossa capacidade de planejar, preparar-se e mudar para enfrentar um novo desafio. Vidas serão perdidas. Setores inteiros podem acabar em ruínas. Em alguns casos, teria sido impossível evitar a devastação. Em muitos outros, no entanto, a magnitude do sofrimento será diretamente proporcional à ausência de preparação, prontidão e resposta eficaz. 

 

Podemos construir um mundo melhor a partir disto. Sei disso porque, simplesmente, precisamos fazê-lo. Não há outra escolha. Qualquer esforço que fizermos para simplesmente voltar à vida "de sempre" antes da pandemia só exacerbará nosso sofrimento quando a próxima crise chegar.

 

Sobre o autor

 

Ricardo Vargas é atualmente o Diretor Executivo da Brightline™Initiative, uma iniciativa do Project Management Institute (PMI) em conjunto com organizações globais líderes de setores de negócios, governo e sem fins lucrativos, incluindo o Boston Consulting Group (BCG), a Agile Alliance, a Bristol-Myers Squibb, a Saudi Telecom Company (STC), a Lee Hecht Harrison e a NetEase.


 
Compartilhe este artigo

Deseja aprender maneiras inteligentes de aumentar o desempenho de sua empresa?

Nós podemos ajudar você e sua empresa a capitalizar oportunidades Fale Conosco
Com mais de 380 escritórios em todo o mundo, estamos perfeitamente posicionados para ajudar sua empresa. Encontre um Escritório
INSIGHTS

Related reads