Lições de Quem Liderou Durante uma Crise

A primeira coisa que Janet Yellen gostaria que você soubesse sobre como liderar em uma crise é que, se você esperar até que uma crise chegue para se preparar, já é tarde demais.

Olhe para seus talentos de uma forma totalmente nova

Transforme sua força de trabalho em uma verdadeira força

Get in touch

A primeira coisa que Janet Yellen gostaria que você soubesse sobre como liderar em uma crise é que, se você esperar até que uma crise chegue para se preparar, já é tarde demais.

 

Como ex-presidente e vice-presidente do Federal Reserve, o banco central dos EUA, Yellen ajudou a guiar a economia dos EUA em um dos períodos mais tumultuados de incerteza econômica global após a crise financeira global de 2008. Ela estava lá quando o banco central emprestou mais de US$ 4 trilhões para salvar instituições financeiras em falência e tirar o mundo do precipício de uma depressão total.

 

O que Yellen aprendeu com essas experiências sobre liderar em uma crise? A preparação é fundamental, principalmente quando se trata do que você diz e como diz.

 

"Aprendi que a preparação era muito importante", disse Yellen no recente World Business Forum (WBF) na cidade de Nova York. "Que eu sempre precisava pensar com muito cuidado antes sobre qual era minha mensagem e o que eu queria dizer."

 

A preparação foi um dos principais temas de seu discurso na WBF, que atraiu centenas de líderes empresariais de todo o mundo. Yellen disse que espera que tanto os governos quanto as empresas estejam se preparando para a próxima desaceleração econômica global.

 

Yellen admitiu que não sabia ao certo se haverá outra recessão grave, mas o ritmo do crescimento econômico nos Estados Unidos e em outros lugares diminuiu consideravelmente. Alguns países, como a Alemanha, chegaram a entrar em recessão.

 

Embora isso não signifique que um dos períodos mais longos de crescimento econômico sustentado chegará ao fim, é um lembrete para líderes de todos os tipos começarem a se preparar para o pior. "Há boas razões para se preocupar", acrescentou.

 

Yellen aprendeu a importância de se preparar da maneira mais difícil, durante sua primeira entrevista coletiva depois de assumir o Federal Reserve. "Cometi um erro e respondi a uma pergunta que nunca deveria ter respondido. E, enquanto a coletiva acontecia, o Dow Jones caiu cerca de 300 pontos. Isso me mostrou que eu precisava ter um cuidado excepcional."

 

A importância de uma ótima equipe


Afinar e ater-se à mensagem não era a única maneira como Yellen se preparava para uma crise. Ela também se esforçou muito para formar uma equipe que contasse com pessoas inteligentes e resilientes que pudessem trabalhar em um ambiente rico em dados e compartilhar livremente suas ideias e teorias sem o medo do pensamento de grupo.

 

Yellen disse que havia um conforto especial que vinha de ter trabalhado deliberadamente na construção de uma ótima equipe. "Eu sabia que não estava nisso sozinha", disse ela.

 

"O mundo é muito incerto. A previsão econômica, o desenvolvimento econômico é algo traiçoeiro e sempre há surpresas…Meus colegas e eu sabíamos que cabia a nós descobrir o que fazer para torná-la a Grande Recessão em vez de a Grande Depressão.


Enfatizar a importância de respostas rápidas a crises

 

Yellen disse que é prática padrão para os formuladores de políticas do Federal Reserve estudar exaustivamente os problemas para garantir que estejam tomando as decisões certas. Na crise financeira global, no entanto, o Federal Reserve tinha apenas dias ou horas para tomar decisões multibilionárias.

 

Yellen disse que sua equipe demonstrou capacidade de deixar de lado sua abordagem tradicionalmente conservadora à solução de problemas e aceitar mais riscos, porque a situação exigia isso. "Tínhamos muitas decisões angustiantes a tomar", lembrou ela.

 

Adotar uma mentalidade de bombeiro

 

Yellen assegurou que sua equipe soubesse que o trabalho constante e deliberado dos líderes do Federal Reserve era de utilidade pública e que eles estivessem "motivados a servir a organização e fazer sacrifícios".

 

Ela colocou uma forte ênfase no equilíbrio entre a vida profissional e pessoal de sua equipe em períodos que não fossem de crise, mas com a condição de que, assim que a crise chegasse, a equipe entrasse logo em ação.

 

Yellen disse que enfatizou para a sua equipe que o papel deles em uma crise não era diferente do de um bombeiro enfrentando um incêndio de grandes proporções. Os bombeiros normalmente passam muito tempo sentados na estação do corpo de bombeiros, relaxando e se preparando para a próxima ligação.

 

Ao mesmo tempo, "os bombeiros sabem que, quando o incêndio começa, você precisa colocar de lado [o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho] e sacrificar seus desejos e metas pessoais pelo bem da organização", afirmou.

Os líderes não podem construir uma cultura organizacional que enfatize respostas rápidas, sacrifícios pessoais e profissionalismo "quando a crise estiver iminente", disse Yellen. No entanto, se você se concentrar em estar preparado, formar uma equipe que possa fazer sacrifícios pessoais e fornecer uma liderança firme e constante, você saberá que fez o seu melhor.

 

Como Yellen disse, "preparar-se e fazer o seu melhor é tudo o que um ser humano pode fazer".

Compartilhe este artigo

Deseja aprender maneiras inteligentes de aumentar o desempenho de sua empresa?

Nós podemos ajudar você e sua empresa a capitalizar oportunidades Fale Conosco
Com mais de 380 escritórios em todo o mundo, estamos perfeitamente posicionados para ajudar sua empresa. Encontre um Escritório
INSIGHTS

Related reads