Por que o Coaching Executivo é a Chave para o Sucesso da Sua Organização?

O coaching executivo é fundamental se você deseja que sua organização seja bem-sucedida. O CEO da Novartis, Vas Narasimhan, nos conta porque ele é um grande defensor do coaching executivo.

Jennifer Fickeler, Ph.D., PCC, SVP, Global Master Coach, LHH
serviços
Transforme sua força de trabalho em uma verdadeira força

Olhe para seus talentos de uma forma totalmente nova

Let's talk

coaching

PT

Quão animado está o CEO da Novartis, Vas Narasimhan, com o coaching executivo? Animado o suficiente para postar um vídeo inteiro no YouTube sobre o assunto.

Lançado no final de 2019, o vídeo apresentava Narasimhan em uma conversa franca com sua própria coach executiva, Jennifer Garvey Berger. Eles falaram sobre o quanto é importante para os líderes seniores continuarem crescendo e mudando, mesmo depois de atingirem o patamar em que estão, e como o coaching foi a chave para tal crescimento e mudança.

Narasimhan revelou que uma das primeiras e mais importantes coisas que aprendeu enquanto trabalhou com Garvey Berger foi que a liderança é “uma jornada para toda a vida” e que, como todos os líderes, “sou um trabalho em progresso”.

É essa a mentalidade que Narasimhan afirma tentar incutir em todos os líderes da Novartis, todos os dias.

“É o que dizemos para nossos funcionários, ‘se queremos reimaginar a medicina, temos de reimaginar a Novartis. Mas se queremos reimaginar a Novartis, temos de nos reinventar, começando por nós mesmos’.”

Embora não mencionada diretamente na entrevista, os comentários de Narasimhan reconheceram uma tendência preocupante que a maioria das empresas de coaching executivo conhece muito bem: a relutância que muitos líderes seniores têm tanto de aceitar uma oferta de apoio de coaching quanto de buscá-la.

Essa preocupação é compartilhada por outros líderes empresariais icônicos. Em 2013, seis anos antes de Narasimhan gravar seu vídeo, o ex-CEO do Google, Eric Schmidt, e o cofundador da Microsoft, Bill Gates, organizaram em conjunto um TED talk sobre os benefícios do coaching executivo. “Todo ator famoso, todo artista famoso tem um coach – uma pessoa capaz de assistir ao que eles estão fazendo e perguntar: ‘Foi isso o que você realmente quis dizer? Você realmente fez aquilo?’, e dar a eles outra visão”, disse Schmidt durante o TED talk. “A única coisa em que nunca somos bons é em nos vermos como as outras pessoas nos veem. Um coach realmente ajuda nisso.”

Com defensores como esses, por que qualquer líder sênior rejeitaria a oferta de ter um coach executivo? As opiniões variam, mas existem algumas teorias bem estabelecidas que foram confirmadas por nossa experiência.

Muitos líderes seniores acreditam que, uma vez que passaram a integrar o seleto grupo dos C-Levels, sabem mais do que todas as outras pessoas. Ou que, tendo escalado a hierarquia da liderança, eles já aprenderam tudo o que tinham para aprender. Então, por que continuar aprendendo?

Há também o fato de líderes seniores serem quase sempre procurados como professores e mentores. O resultado é que muitos acreditam que devem parecer inabaláveis diante do estresse enfrentado por líderes que ocupam níveis inferiores na empresa.

Parte disso se deve, sem dúvida, ao fato de que o coaching executivo é, às vezes, empregado como ferramenta corretiva oferecida para líderes passando por dificuldades.

Existem muitos argumentos fortes para explicar por que o coaching executivo é obrigatório para todos os líderes seniores. Mas, a seguir, estão três que devem fazer até o mais tradicional dos executivos pensar duas vezes antes de rejeitar uma oferta de coaching.

Atletas de elite dependem muito do treinador. Para garantir que tenham um desempenho de alto nível, o tempo todo, atletas profissionais e amadores de alto nível precisam de um treinamento eficaz. Nenhuma equipe entraria na quadra/ringue/campo sem trabalhar intensamente com os treinadores na preparação e na execução de jogadas. Alguns esportes têm treinadores para habilidades específicas, como o treinador de goleiros no hóquei e o treinador de zagueiros no futebol. Mesmo atletas de esportes individuais, como golfe, viajam com seus treinadores para todo lugar. Tudo isso faz você se perguntar – se os atletas de elite não podem viver sem um treinador, como os executivos líderes empresariais podem?

O coaching é a melhor maneira para líderes experientes adquirirem as habilidades interpessoais de liderança que são tão procuradas hoje. Mesmo que você não tenha percebido, a definição de “boa liderança” mudou bastante nos últimos anos. Empresas buscam líderes que não apenas produzam resultados, mas também exibam um domínio total de Inteligência Emocional e das chamadas habilidades interpessoais, como vulnerabilidade, autoconsciência e empatia. Nem todos os líderes, especialmente aqueles que estão na liderança há muito tempo, têm tais habilidades como naturais. O coaching é uma das melhores maneiras de líderes experientes encontrarem seus lados “mais suaves”.

Se você não está trabalhando com um coach executivo, pode apostar que os CEOs de seus concorrentes estão. Mesmo com as mudanças causadas pela pandemia, um estudo recente feito pela International Coaching Federation estimou que a receita gerada pelo mercado global de coaching foi de 2,9 bilhões de dólares, um aumento de 21% em relação a um estudo semelhante feito em 2015. O estudo também estimou que, hoje, existem 71 mil coaches certificados na ativa em todo o mundo – um aumento de 33% desde 2015. Essa é uma prova bastante contundente de que o coaching se tornou a solução de liderança escolhida por empresas com mentalidade de crescimento. Portanto, olhe ao redor em sua empresa; se seus líderes executivos não estão trabalhando com coaches, eles estão ficando para trás.

As reflexões de líderes como Narasimhan, Schmidt e Gates trazem ensinamentos em vários níveis diferentes. Porém, nos lembram, principalmente, que líderes precisam mudar, que precisam crescer e mudar, e o crescimento é mais fácil e rápido com um coach. “Tornar-se um líder é uma jornada para toda a vida”, escreveu Narasimhan em um comentário no LinkedIn. “Exige coragem para se autodescobrir – e coragem para mudar.”

 
Compartilhe este artigo